1

28 de dezembro de 2012

LENDO #dezembro

1

reading

Oi pessoal, eu resolvi criar esse meme mensal aqui para o blog, sobre livros que estou lendo no momento e que estou prestes acabar. Vou postar somente os que mais me agradaram e que estou quase no final, para poder resenhá-los logo em seguida! (:

Como o meme é mensal, não estará nas colunas aqui ao lado, pois irei demorar a postar. Quando? No fim de cada mês.

A seguir, os que mais estão me agradando e minha opinião sobre:

machado-de-assis-dom-casmurro-bras-cubas-capa-dura_MLB-F-2991007703_082012[1]DOM CASMURRO (Machado de Assis)

Review: Machado de Assis (1839-1908), escrevendo Dom Casmurro, produziu um dos maiores livros da literatura universal. Mas criando Capitu, a espantosa menina de "olhos oblíquos e dissimulados", de "olhos de ressaca", Machado nos legou um incrível mistério, um mistério até hoje indecifrado. Há quase cem anos os estudiosos e especialistas o esmiuçam, o analisam sob todos os aspectos. Em vão. Embora o autor se tenha dado ao trabalho de distribuir pelo caminho todas as pistas para quem quisesse decifrar o enigma, ninguém ainda o desvendou. A alma de Capitu é, na verdade, um labirinto sem saída, um labirinto que Machado também já explorara em personagens como Virgília (Memórias Póstumas de Brás Cubas) e Sofia (Quincas Borba), personagens construídas a partir da ambigüidade psicológica, como Jorge Luis Borges gostaria de ter inventado.

O que eu estou achando…

Ah, já estou quase no final do livro e uma resenha seria ‘acabar a surpresa’, mas uma pré-resenha, não seria nada mal né? (: Pois é, foi pensando nisso que resolvi escrever o que estou achando do livro nesta altura do campeonato. Estou na página 241, e muita coisa já aconteceu e muita coisa ainda vai acontecer.

Capitu é aquele típico adolescente atrevido e espevitado. Mas Bentinho, o personagem principal, não. Ele é sensível, doce e apaixonado, Capitu não. Os dois amigos e vizinhos de infância, acabam se aproximando bem mais depois que completam uma certa idade. Desde o começo, Bentinho começa com antes de seu nascimento, e no presente. Intercala momentos passados com presentes, às vezes confundindo o leitor com o real presente. Um pouco, devo admitir.

Mas o resto, eu só conto na resenha! (:

aprendendo a seduzir[1]APRENDENDO A SEDUZIR (Patricia Cabot)

Review: Durante um baile, Lady Caroline Linford abre a porta de um dos cômodos e flagra seu noivo, o marquês de Winchilsea, nos braços de outra mulher.

Para a sociedade vitoriana do século XIX, tais escapulidas masculinas eram normais, e cancelar o casamento seria impensável. O jeito, decide a jovem, é aprender a ser, ao mesmo tempo, a esposa e a amante, para que o marquês nunca mais tenha de procurar outra mulher fora do lar. Por isso, resolve tomar lições - teóricas, claro - sobre a arte do amor com o melhor dos professores: Braden Granville, o mais notório libertino de Londres.

Logo nas primeiras aulas começam a voar faíscas e as barreiras entre professor e aluna caem.

Escrito por Meg Cabot, sob seu pseudônimo, esse romance vai mostrar que o amor escolhe seus próprios caminhos, sempre imprevisíveis.

O que eu estou achando…

Bom, pra começo estou na página 146. É, parece pouco, mas não tanto já que quando começo não consigo mais parar! Meg consegue nos levar para uma época em que a imagem frente à sociedade era mais importante que qualquer coisa. Qualquer coisa! A linhagem, o casamento, aquelas frescuras do outro século que tanto veneravam. A história de Caroline parece besta, sua vida parece clichê de contos de fadas, mas nada é assim na sua visão. Ela pega seu noivo, por quem achava ser completamente apaixonada, traindo-a com a noiva de um homem perigoso e respeitado. Então é aí que a trama toda desenrola. Vemos o encontro entre Caroline e Braden e de como o amor pode nos surpreender!

Ai, o resto eu só conto na resenha! (:

156635_870[1]A FILHA DE MINHA MÃE (Judith Henry Wall)

Review: Durante a segunda Guerra mundial, duas irmãs muito unidas tornam-se adultas acalentado sonhos diferentes. Justine busca uma carreira excitante como fotografa, enquanto Martha Claire se torna uma esposa devotada. Mas um episódio incomum abre um abismo de traição e mágoa entre as duas e modifica suas vidas completamente.

O que estou achando…

Estou na página 52, ou, na 348 do Seleções de Livros (Reader’s Digest). Achei, no início, que a história se tratava da visão de uma menina, pequena e órfã sobre sua família desestabilizada e arruinada. Mas não, é apenas um prefácio de outra grande história. Pelo que vemos na sinopse, não se conta muita coisa sobre a grande confusão que se causa quando uma traição é descoberta pela personagem principal, a Martha Claire. Muitos personagens envolvem essa briga entre irmãs e a família, que antes era perfeita e feliz, vai se esvanecendo toda. É um livro entediante no início e triste no fim.

O resto, só vou descobrir depois! E vocês só vão ver na resenha. (:

A-Travessia[1]A TRAVESSIA (William P. Young)

Review: Um derrame cerebral deixa Anthony Spencer, um multimilionário egocêntrico, em coma. Quando “acorda”, ele se vê em um mundo surreal habitado por um estranho, que descobre ser Jesus, e por uma idosa que é o Espírito Santo. À sua frente se descortina uma paisagem que lhe revela toda a mágoa e a tristeza de sua vida terrena. Jamais poderia ter imaginado tamanho horror. Debatendo-se contra um sofrimento emocional insuportável, ele implora por uma segunda chance.

Sua prece é ouvida e ele é enviado de volta à Terra, onde viverá uma experiência de profunda comunhão com uma série de pessoas e terá a oportunidade de reexaminar a própria vida. Nessa jornada, precisará “enxergar” através dos olhos dos outros e conhecer suas visões de mundo, suas esperanças, seus medos e seus desafios.

Na busca de redenção, Tony deverá usar um poder que lhe foi concedido: o de curar uma pessoa. Será que ele terá coragem de fazer a escolha certa?

O que eu estou achando…

Na página 54, Tony ainda não teve seu grande encontro com Deus e a realidade, mas já temos bastante coisa ao longo dessas páginas. Acho que é um pouco confuso e meio prolongado, certos momentos do livro que observei ao lembrar de A Cabana; que era bem mais direto, vamos convir. A história é totalmente original e instigante, te leva a refletir sobre tudo e todos. Sobre o que acontece em nossa vida, sobre as pessoas e sobre o por quê de tudo. É realmente boa essa mistura de William P. Young de auto-ajuda, religião e ficção. O livro ao todo é inspirador!

Não sei se é um pouco marketing, mas eu estou amando os devaneios e esses prolongados que o autor deu. Enfim, assim que eu tiver acabado A Travessia completo, voltarei com uma super resenha pra vocês! Até lá.

Então, fui sincera em cada palavra que eu disse aqui nos livros e acho que deveria ser mais que obrigatório vocês darem suas opiniões! 

xoxo2

 

1 comentários :

Daniela Vieira disse...

Que legais os livros flor!
Dom Casmurro eu adoro. Li por vontade própria rsrs E não por causa de escola ou vestibular.
Esse último, A Travessia eu nem imaginava que era assim. Me deu a maior vontade de ler. Adorei a sua quase resenha rsrs
Eu tenho uns livros do Seleções... Mas pela capa kkkk eu nunca fiquei com vontade de ler. Mas vc falando assim... quem sabe rs

Beeijo
Me dá uma visitinha lá =)

Diga sua opinião, dê sugestões, critique com respeito, criatividade e construtividade! (: Espaço livre para vocês, meus caros.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...